Afinal, o marketing boca a boca realmente funciona? Descubra!

Um bom produto ou serviço modifica a vida de uma pessoa de várias formas. Afinal, poucas coisas são tão gratificantes quanto conseguir resolver um problema por meio de um bom atendimento. A satisfação é tanta que sentimos a necessidade de compartilhar nossas experiências com outras pessoas para que elas cheguem a um resultado positivo também. É o que chamamos de marketing boca a boca.

Como compartilhar informações tem se tornado um hábito em nossa sociedade, essa troca de experiências consegue ser cada vez mais pública e chegar a muitas pessoas rapidamente. Por razões como essa, tanto grandes como pequenos negócios precisam encontrar maneiras de ser bem avaliados por seus clientes.

Continue lendo e entenda como funciona o marketing boca a boca e como ele pode ser favorável para a fidelização dos seus parceiros!

Como funciona o marketing boca a boca?

A estratégia surgiu como uma alternativa às grandes mídias, como jornais, revistas, TV, pois os anúncios nesses veículos necessitam de um grande investimento. Além de poder ser combinado com outros tipos de marketing, é uma técnica econômica e muito eficiente.

Atualmente, o marketing boca a boca funciona como uma ponte entre sua empresa e o cliente. Para que esse vínculo dê certo, é necessário entender qual a melhor forma de interagir com eles. Por exemplo, se o seu público-alvo for bem presente nas redes sociais, procure interagir com ele e incentive-o a deixar avaliações no perfil da empresa.

Qual a importância para a fidelização de clientes?

Além de ampliar o alcance do seu negócio, o marketing boca a boca pode acelerar o processo de vendas e, assim, aumentar os lucros. Afinal, quando uma pessoa já pensa em adquirir um produto e surge uma recomendação de alguém em quem ela confia, a decisão de compra torna-se bem mais ágil e descomplicada.

Portanto, é uma estratégia muito importante para quem está começando o negócio ou ainda tem uma clientela reduzida. Isso porque também é uma forma de fidelizar os clientes, já que, ao ter uma experiência positiva em seu estabelecimento, certamente a pessoa terá a sua marca em mente na próxima vez que precisar do produto que você oferece.

Como ter um bom marketing boca a boca?

Agora que já entendemos o que é e qual a sua importância, resta saber como ter uma boa estratégia de marketing boca a boca.

Tenha a qualidade como lema do negócio

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que o cliente só recomenda aquilo de que realmente gosta. Nesse sentido, a qualidade deve ser a palavra-chave do seu negócio, tanto no que diz respeito ao seus produtos como ao suporte que você fornece.

Ofereça atendimento personalizado

O atendimento personalizado é uma das formas mais eficazes de manter clientes satisfeitos, uma vez que mostra o interesse da empresa em buscar a satisfação dos consumidores e em entender as suas particularidades.

Seja ágil na resolução de problemas

Outro detalhe importante é que, por mais que o suporte dado seja eficiente, sempre existirão problemas. Contudo, a capacidade de resolvê-los com agilidade e sem burocracia pode fazer com que seu negócio seja mais recomendado.

Ofereça benefícios surpresa

Busque surpreender seus clientes, oferecendo descontos, brindes e outros benefícios, sempre que possível, para fortalecer o vínculo e se destacar diante dos concorrentes.

Então, sim, o marketing boca a boca realmente funciona e deve ser uma estratégia valorizada, já que é capaz de potencializar suas vendas e melhorar bastante o vínculo com seus clientes, mantendo-os fidelizados ao seu negócio. Lembre-se ainda de sempre procurar manter a qualidade constante em seus produtos e serviços para que essa estratégia traga bons resultados.

E então? Você já conhecia os benefícios do marketing boca a boca? Então que tal compartilhar este conteúdo nas redes sociais para que mais pessoas conheçam essas vantagens?

Passo a passo: saiba como fazer fluxo de caixa!

Manter a saúde financeira da empresa em dia é uma das regras básicas que os gestores precisam seguir no dia a dia. Afinal, somente quando a entrada e a saída de recursos está sob controle é possível planejar os próximos passos e investimentos do negócio. E, para manter esse equilíbrio, é fundamental que os responsáveis pelo gerenciamento da empresa saibam como fazer o fluxo de caixa.

Basicamente, o termo se refere a uma ferramenta financeira que visa controlar sistematicamente todas as entradas e saídas de valores do negócio. A partir desses registros será possível analisar com maior eficácia quais são os gastos necessários, as despesas que podem ser diminuídas ou cortadas, bem como o que precisa de mais investimentos, por exemplo.

Para você que tem dúvidas sobre o assunto, fizemos um passo a passo para manter o fluxo de caixa em ordem. Confira!

Mantenha o registro de todas as movimentações

O primeiro passo para fazer o fluxo de caixa é determinar o período que será considerado. Normalmente, ele é projetado por um período de 12 meses, ou seja, para o ano todo. Definido o período, é preciso registrar todas as movimentações financeiras, tais como:

  • novos lançamentos;
  • pagamentos recebidos;
  • contas a receber;
  • contas a pagar.

Como novos lançamentos, podemos classificar os valores que não foram projetados ou mesmo correções do que já havia sido incluído na planilha. Todos os pagamentos recebidos, tanto à vista quanto a prazo, também precisam ser registrados, assim como as contas a pagar e também a receber. Nessa etapa, atente-se para cadastrar os números certos, pois qualquer erro de cálculo poderá se tornar um problema.

Organize as informações por categorias 

Para facilitar a análise das informações e manter a organização, o ideal é cadastrar os valores em categorias pré-determinadas. Cada tipo de negócio poderá lidar com informações específicas a serem consideradas no fluxo de caixa, mas normalmente os dados são divididos entre: entradas e saídas.

Essas duas categorias são gerais e a partir delas o gestor precisa criar as subcategorias para organizar as informações. Normalmente, as categorias mais usadas são as seguintes:

  • folha de pagamento;
  • investimentos;
  • impostos;
  • vendas;
  • retorno de investimentos;
  • juros.

Crie uma rotina de trabalho

As categorias citadas são apenas algumas que devem aparecer no controle de fluxo de caixa, mas, de acordo com o ramo de atividade da empresa, muitas outras devem ser consideradas também. Com tantas informações importantes e números envolvidos, é preciso atenção máxima para a manipulação dos dados.

O que sempre vai ajudar nessa tarefa é manter uma rotina de trabalho bem-organizada. Além disso, é importante registrar todas as entradas e saídas de valores praticamente em tempo real. Nada de deixar para mais tarde ou outro dia, pois as planilhas precisam estar o tempo todo atualizadas, inclusive para serem consultadas.

Acompanhe os resultados

Assim como qualquer outra métrica de gestão, é preciso analisar os dados do fluxo de caixa para os próximos planejamentos da empresa. As informações não devem ser apenas cadastradas, pelo contrário, precisam ser consideradas para as tomadas de decisões.

Acompanhando de perto as movimentações do fluxo de caixa, o gestor conseguirá gerenciar melhor sua relação com clientes e fornecedores. Além disso, conseguirá otimizar o uso dos recursos de acordo com o que realmente tem em caixa, sempre cumprindo prazos e fazendo os melhores investimentos possíveis em cada momento do negócio.

Se você gostou dessas dicas sobre como fazer fluxo de caixa, aproveite para se cadastrar na nossa newsletter e receba por e-mail nossos próximos conteúdos!

Você sabe como temperar linguiça? Aprenda agora!

Para fazer bonito na cozinha, além de dominar as técnicas da gastronomia, é preciso investir — e muito — no uso dos temperos. Afinal, eles são os responsáveis por realçar o sabor dos alimentos e deixá-los ainda mais saborosos, marcantes e com a qualidade altíssima. Pensando nesse detalhe, trouxemos para o post de hoje as melhores dicas sobre como temperar linguiça artesanal.

Isso mesmo! Durante a sua fabricação, você pode usar os mais variados temperos, já que, no interior da membrana, há a possibilidade de adicionar substâncias de todos os tipos que podem variar de acordo com o paladar dos seus clientes.

Preparado para saber como realizar esse procedimento e desenvolver um produto sem igual? Continue acompanhando a leitura e fique por dentro!

Conheça os principais produtos que podem ser usados

A grande vantagem de produzir uma linguiça artesanal, também conhecida como “gourmet”, é que você tem a possibilidade de escolher todos os ingredientes que farão parte do produto. Esse é o caso dos condimentos, temperos, especiarias e até mesmo os tipos de carne que vão compor a sua receita. Na antiguidade, mais precisamente no período do Império Romano, as linguiças eram temperadas com poucas ervas aromáticas e sal. São elas:

  • pimenta do reino;
  • cebolinha;
  • salsinha.

Tais condimentos são considerados naturais e, portanto, resultam em linguiças para quem tem o paladar simples. O mais interessante é que, com o passar do tempo, esse preparo foi se modificando e, hoje, é possível adicionar outros ingredientes para incrementar a receita, como:

  • alho;
  • orégano;
  • cebola;
  • sálvia;
  • gengibre;
  • louro;
  • tomilho;
  • alecrim;
  • manjericão.

Conforme suas preferências, há ainda a possibilidade de adicionar alguns elementos diferenciados. Queijos, nozes e azeitonas são bons exemplos. Use a sua criatividade!

Aprenda a combinar os temperos

De nada adianta escolher bons temperos se, no fim das contas, você não consegue harmonizá-los em uma receita. Portanto, é sempre importante seguir algumas recomendações básicas antes de “colocar a mão na massa”.

O ideal é dar preferência aos temperos frescos e moê-los na hora do preparo. Se não for possível, você também conseguirá alcançar bons resultados utilizando os ingredientes secos. Esse é o caso da cebola desidratada, alho em flocos e gengibre em pó.

Agora, vamos ao que interessa: a mistura dos condimentos. Como você já pode imaginar, são inúmeras opções de especiarias disponíveis, fazendo com que muitas pessoas fiquem em dúvida na hora de escolher cada uma delas. Sem desespero! A dica é que você, inicialmente, escolha o tempero de acordo com o tipo de carne. Veja:

  • para linguiça de frango: utilize coentro, páprica e salsa;
  • para linguiça de porco: invista no tomilho, alecrim e sálvia.

Quer dar um toque especial na sua receita? Tudo bem! Separadamente, faça pequenos experimentos, sempre pedindo a recomendação de outras pessoas até encontrar a sua melhor fórmula.

Tenha cuidado para não errar nas medidas

Infelizmente, não são todas as pessoas que sabem como temperar linguiça de imediato. Muitas, inclusive, vivem “errando a mão” na adição do sal e outros temperos. Para não correr esse risco, basta seguir um cálculo simples: para cada meio quilo de carne, adicione 10 gramas de sal. O mesmo vale paras especiarias utilizadas no preparo. Não tem erro!

Por último, tenha cuidado: tanto as ervas secas quanto os temperos frescos podem apresentar contaminantes em suas composições. Para garantir um produto de qualidade, busque sempre por bons fornecedores.

Gostou das nossas dicas sobre como temperar linguiça e quer continuar acompanhando outros conteúdos como este? Siga a nossa página no Facebook, no Instagram e não perca as novidades!

Afinal, onde comprar sal de cura de qualidade? Descubra aqui!

Um ingrediente muito importante que deve ser usado por quem produz embutidos e alimentos curados é o sal de cura. De forma geral, ele é o responsável por inibir a proliferação de fungos e bactérias, por exemplo, nos alimentos, ajudando a evitar problemas como o botulismo. No entanto, nem todo mundo que trabalha com a fabricação de embutidos sabe onde comprar sal de cura.

Hoje, com a facilidade do mercado, é possível encontrar o ingrediente não somente nas lojas físicas, mas também nos sites que comercializam produtos para embutidos. Por atuar como um antioxidante, o sal de cura ajuda a conservar o alimento por mais tempo, além de ajudar na estabilização do sabor e da cor do embutido.

Para você que tem dúvidas sobre como usar o produto, abaixo, explicamos as principais informações e funções do sal de cura. Confira!

Quando usar o sal de cura?

Há milhares de anos que o sal vem sendo usado pelos humanos para a conservação de alimentos, inclusive sendo aplicado em diferentes técnicas. No caso do sal de cura, como o próprio nome diz, ele é indicado para a produção de alimentos curados e embutidos. Carnes curadas, salsichas e linguiças são algumas das receitas que exigem o ingrediente.

A coloração vermelha presente em embutidos como salame, mortadela e linguiça vem justamente do sal de cura. Além disso, esse aditivo contem nitrito de sódio, que os embutidos processados, feitos na indústria, precisam para serem comercializados. No entanto, essa obrigatoriedade não se aplica a produções caseiras.

Mas, vale lembrar que o ingrediente funciona como uma proteção contra malefícios como o botulismo, um exemplo de toxina perigosa que pode ser evitada com o uso do sal de cura.

Como escolher?

Normalmente, quem está pesquisando informações sobre o sal de cura pela primeira vez pode se deparar com a informação de que existe o sal de cura 1 e o 2. Na verdade, essa diferenciação foi criada nos Estados Unidos e diz respeito a uma padronização de ingredientes que não se aplica no Brasil. No entanto, quando encontrar produtos com essas descrições, entenda que as diferenças entre eles são as seguintes:

  • sal de cura 1: é indicado para a produção de produtos que serão consumidos logo, ou seja, para uma cura rápida que serve para alimentos como salsichas cozidas e linguiças frescas;
  • sal de cura 2: é recomendado para as chamadas “curas longas”, ou seja, aqueles alimentos que demandam mais tempo para ficarem prontos, como os salames e presuntos crus. 

Onde comprar?

Hoje, o sal de cura pode ser facilmente encontrado nas lojas on-line especializadas, ou seja, nem será preciso sair de casa para adquirir o produto. Porém, vale sempre seguir algumas dicas para encontrar o melhor produto para a sua produção de embutidos.

Certifique-se de que se trata de uma loja confiável, que trabalha com ingredientes e marcas de qualidade. Avalie o custo-benefício, mas também a reputação da empresa, pois, no final, o que vai fazer a diferença no sabor será a qualidade das matérias-primas usadas.

Agora que você já sabe onde comprar sal de cura e as funções do produto, aproveite para conferir a variedade dele e outros condimentos na nossa loja on-line!

Charcuteiro: saiba como fazer linguiça de churrasco de forma simples!

Um ingrediente fácil de ser encontrado em qualquer supermercado é a linguiça. Mas você já pensou em produzir suas próprias receitas de embutidos para incrementar as vendas do seu negócio? O churrasco é uma paixão nacional e o empreendedor que souber explorar esse nicho, sem dúvidas, terá muitas chances de sucesso. Por isso, saber como fazer linguiça de churrasco pode render um ótimo lucro!

Investir nas próprias receitas de linguiça será um diferencial, afinal, os embutidos tradicionais são facilmente encontrados. O brasileiro gosta de novidades e, nesse caso, a receita básica pode ser incrementada com diversos outros ingredientes, como pimentas, queijos e defumados.

Para quem tem dúvidas sobre como fazer linguiça de churrasco e quais ingredientes usar, abaixo, listamos algumas dicas. Confira!

Por que investir na produção de linguiça artesanal?

O brasileiro tem se preocupado cada vez mais com a qualidade dos produtos que consome e isso inclui os alimentos. Seguindo essa tendência, a produção artesanal está sendo mais valorizada e o empreendedor do ramo alimentício pode e deve explorar essa novidade que, certamente, resultará em bons lucros.

A linguiça artesanal é um alimento apreciado na alimentação do dia a dia, pois é versátil e pode ser usada como base para inúmeras receitas. Além disso, também é a estrela dos churrascos de final de semana, sendo considerada um dos ingredientes indispensáveis.

Ou seja, o consumo é alto e o custo é baixo, por isso, é uma ótima alternativa para o empreendedor que quer fazer suas próprias receitas. Acredite, não é preciso fazer grandes investimentos para começar a produzir linguiças artesanais e os ingredientes usados também não são de alto custo.

Quais ingredientes básicos posso usar para fazer linguiça?

Basicamente, os ingredientes usados para fazer linguiça são:

  • carne: normalmente, pernil ou lombo de porco;
  • algum tipo de gordura para que a linguiça não fique seca. Pode ser bacon ou toucinho, por exemplo;
  • temperos a gosto;
  • água para dar liga;
  • sal de cura, que ajuda a preservar o alimento e inibe a contaminação por bactérias e fungos;
  • tripa natural, que vai revestir a linguiça. No caso de linguiça para churrasco o ideal é utilizar calibres mais grossos, como o calibre 32/34 por exemplo.

Além desses ingredientes, é preciso também ter alguns equipamentos que facilitam o trabalho, como o moedor de carne e o enchedor de linguiça. Para fazer linguiças diferenciadas, o ideal é apostar em especiarias que possam adicionar um sabor extra ao alimento.

Usar variados tipos de pimentas, queijos com o sabor mais intenso, como o provolone, ervas frescas que dão mais sabor, como o tomilho, e até mesmo um toque de vinho pode fazer toda a diferença no produto final.

Como fazer a linguiça passo a passo?

Com os ingredientes selecionados e os equipamentos adequados, a produção é simples. Veja o passo a passo a seguir:

  • comece moendo a carne e a gordura escolhida juntas;
  • depois, adicione os temperos a gosto e os demais ingredientes, amassando tudo até formar uma massa com textura pegajosa;
  • o próximo passo é embutir a massa na tripa;
  • finalize amarrando as pontas das tripas e, depois, torcendo os gomos.

Uma dica muito importante é sempre trabalhar com os ingredientes bem gelados, ou seja, depois de moer a carne e a gordura, deixe-as descansando no congelador até quase congelarem. Para facilitar, você pode usar uma batedeira para misturar os ingredientes.

Depois que a linguiça estiver pronta, o ideal é que ela descanse na geladeira por, pelo menos, 12 horas antes de ser assada. Como você pôde perceber, o processo é simples e você pode usar toda a criatividade para criar muitas receitas.

Depois dessas dicas sobre como fazer linguiça de churrasco, aproveite para curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro das nossas novidades!