Veja como escolher tripas para linguiça artesanal de qualidade

Qualquer chef de cozinha dirá que o sucesso de uma preparação começa na escolha de ingredientes de qualidade, e com a charcutaria não é diferente. Escolher tripas para linguiça é o primeiro passo para a confecção de embutidos de primeira, sendo fundamental saber exatamente o que escolher.

Acompanhe-nos ao longo deste post e conheça quais os principais tipos de tripa, os critérios que se deve considerar na hora da escolha e como garantir a segurança e a qualidade do seu produto.

Os tipos de tripa

Hoje é possível encontrar no mercado quatro principais tipos de tripa para linguiça: as tripas de plástico, as de colágeno, as de celulose e as naturais. Conheça cada uma delas e saiba qual a melhor para as suas preparações:

  • tripa de plástico — mais barata, essa tripa é bastante usada em produtos de frango ou mortadelas de baixa qualidade. Por ser impermeável, dificulta a perda de água, impedindo a defumação do embutido. Deve ser retirada na hora do consumo;
  • tripa de colágenoproduzidas a partir do colágeno retirado de porcos ou do gado, essas tripas possuem alta produtividade industrial, motivo pelo qual são muito comuns no mercado. São mais grossas, apresentando uma textura menos agradável, e por isso costumam ser retiradas pelo consumidor;
  • tripas de celulose — produzidas a partir de fibras vegetais, são usadas principalmente para salsichas e em defumados para lanches. Costumam ser retiradas após o cozimento, resultando em produtos “sem pele”;
  • tripas naturaissão os intestinos do animal (ovino, suíno ou bovino), limpas e sem a gordura e as mucosas. São, de longe, as de melhor qualidade, agregando sabor ao embutido e permitindo que ele “respire” durante o processo de defumação. Além disso, são as que apresentam também melhor estética e textura.

O que levar em conta na hora da escolha

Agora que você já sabe quais os tipos de tripas para linguiça, veja quais critérios levar em conta na hora da compra.

Verifique o selo de inspeção

Qualquer produto de origem animal só pode ser comercializado se tiver recebido o selo de inspeção sanitária, que pode ser municipal (SIM), estadual (SIE) ou federal (SIF). Cada um desses selos determina a comercialização dos produtos em território municipal, estadual ou nacional, respectivamente.

A presença dos selos de inspeção garante a você que a tripa escolhida atende a todos os requisitos fitossanitários estabelecidos pelo governo, confirmando a segurança daquele alimento.

Saiba onde comprar

Infelizmente, ainda existem pessoas que vendem tripas para linguiça sem se preocuparem com a qualidade ou procedência do produto, o que, como vimos, pode colocar em risco a saúde de quem vai consumir o embutido.

Ao escolher um bom fornecedor, você garante a procedência do produto e a consistência na qualidade. Ou seja: você sabe que a tripa apresentará sempre o mesmo padrão de qualidade, evitando surpresas e frustrações.

Priorize a qualidade

É claro que sempre queremos economizar, e um consumidor consciente vai buscar sempre a melhor relação custo-benefício. Entretanto, é preciso ter cuidado para não focar sua atenção excessivamente no preço e deixar a qualidade em segundo plano.

Como comentamos, o sucesso de uma receita depende em grande parte da qualidade dos ingredientes escolhidos, tanto quanto da técnica aplicada. Por isso, ao procurar os melhores preços, não sacrifique a qualidade da tripa: é ela que vai determinar o sucesso do seu embutido.

O mundo da charcutaria é muito rico, e nele sempre é possível encontrar nuances e detalhes que fazem toda a diferença. Com o tempo, você certamente será capaz de escolher as tripas para linguiça de acordo com o resultado final que deseja.

E se você se interessa pela fabricação de linguiças artesanais, capazes de levar a sua assinatura e os sabores exclusivos que só a sua criatividade é capaz de gerar, a Zafe tem todos os materiais e equipamentos necessários para a sua produção. Conheça nossos produtos e entre de cabeça no mundo da charcutaria.

Afinal, o que é charcutaria e quais são as técnicas utilizadas?

Você sabe o que é charcutaria? Sabia que essa técnica, que surgiu com o intuito de conservar as carnes por mais tempo, está presente na sua rotina, trazendo até os dias de hoje tradições e técnicas que remontam ao tempo das grandes navegações ou mesmo antes?

Acompanhe-nos ao longo deste artigo e conheça mais sobre essa arte que atravessa os séculos!

O que é charcutaria?

A palavra charcutaria tem origem no francês charcuterie, que vem da junção de chair (carne) e cuit (cozida), e designa um conjunto de técnicas para prolongar a vida útil das carnes. Muito usados durante séculos, esses métodos permitiram que viajantes europeus, por exemplo, desbravassem os mares nas Grandes Navegações, ou que comerciantes explorassem rotas que iam até o Oriente em busca de seda e especiarias.

As técnicas clássicas de charcutaria envolvem a cura e a desidratação das carnes. Dessa forma, reduz-se a presença de água no alimento, inibindo a ação de bactérias e demais microrganismos nocivos à nossa saúde.

Quais são os processos e técnicas utilizados?

Agora que você já conhece a história por trás da charcutaria, é hora de aprender sobre alguns dos procedimentos usados nessa arte ancestral a fim de garantir a durabilidade dos embutidos e seu sabor característico.

Defumação

Como o nome sugere, a defumação nada mais é que o ato de curar a carne de sua escolha por meio do uso de fumaça. A defumação pode ser quente ou fria, e consiste basicamente em impregnar a carne com a fumaça de uma lenha de sua escolha, dentro de uma espécie de armário ou forno, chamado defumador.

Vale salientar que, na defumação, a escolha da madeira a ser queimada influencia diretamente o resultado final. Com o tempo, você também será capaz de identificar qual a madeira que mais lhe agrada.

Desidratação

Processo básico da charcutaria, a técnica de desidratação pode ser realizada de inúmeras formas: seja pela circulação de ar em temperatura e umidade controladas, seja pela salga ou mesmo pela exposição prolongada ao sol.

Ao reduzir a concentração de água no alimento, a desidratação não apenas inibe a ação de bactérias, como também aumenta a concentração de compostos aromáticos e de sabor, realçando as notas naturais do produto.

Marinada

A marinada nada mais é que deixar a carne que se pretende curar imersa em uma mistura de temperos e especiarias, podendo ser seca ou úmida. Cada casa de charcutaria tem seu próprio mix de temperos, que pode incluir desde o sal até dezenas de especiarias.

Cocção

Sim, seus embutidos também podem passar por processos de cocção. Entretanto, é importante lembrar que essa cocção não é como aquela que fazemos normalmente em casa, que visa deixar o alimento pronto para consumo imediato. Na charcutaria, a cocção dos embutidos acontece de forma controlada e visando resultados bastante específicos.

Como escolher sais e especiarias?

Como você deve ter percebido, sais e especiarias são essenciais na charcutaria, e cada produto tem um efeito diferente no embutido. Ao produzir produtos de cura mais longa, como salame, charque e presunto cru, por exemplo, recomenda-se o sal de cura tipo 2. Já para linguiças frescas e embutidos cozidos, que logo serão consumidos e, portanto, requerem cura mais rápida, o mais indicado é o sal de cura tipo 1.

Definir o que é charcutaria pode até ser simples, mas, como vimos, essa é uma tradição ancestral, com técnicas e métodos que vão se aperfeiçoando ao longo dos séculos. E se você quer saber mais sobre o mundo das carnes e da charcutaria, não pode deixar de conferir nosso post sobre cortes de carne bovina.

Selo de inspeção de alimentos de origem animal (SIF): por que é importante?

Se você é um consumidor atento, certamente já deve ter reparado como muitos dos produtos nos supermercados veem com um selo SIF. Mas você sabe o que é e para que serve? Qual a importância dele? Será que existem outros selos de inspeção aos quais nós também deveríamos ficar atentos?

Leia o artigo a seguir e aprenda tudo sobre os selos de inspeção sanitária vigentes no Brasil e por que eles são importantes para os produtores, os consumidores e a sociedade como um todo. Confira!

O que são os selos de inspeção?

A fim de garantir a segurança e a procedência dos produtos de origem animal (sejam eles comestíveis ou não), o governo, em diferentes instâncias, confere aos produtores que atendem os critérios exigidos pela legislação os selos de homologação de qualidade. São eles o SIM (Selo de Inspeção Municipal), o SIE (Selo de Inspeção Estadual) e o SIF (Selo de Inspeção Federal).

Como os nomes já deixam bastante claro, cada um deles confere ao produtor a permissão para comercializar o produto nas esferas municipal, estadual e federal. A concessão de cada um deles está vinculada ao respectivo órgão do Poder Executivo, sejam as Secretarias Municipais de Desenvolvimento Rural, as Secretarias Estaduais de Agricultura ou, no caso do selo federal, o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA).

Além de outorgar a comercialização de produtos a nível nacional, o SIF também é exigido nos casos de importação ou exportação de produtos de origem animal.

Qual a importância do SIF?

Agora que nós já entendemos quais são os principais selos de inspeção vigentes no Brasil e qual a esfera de atuação de cada um deles, fica ainda uma pergunta: afinal, qual a importância desses selos? Por que eu, enquanto consumidor, deveria estar atento à presença ou ausência deles?

Existem diversos motivos pelos quais os selos de inspeção são importantes. Abaixo, você pode conferir alguns deles.

Garantia de padrão

Para os produtos continuarem a receber o selo de inspeção, as empresas devem sempre manter rigorosos padrões de qualidade. Eles são determinados pelo governo, com base em pesquisas e diretrizes de saúde, as quais são atualizadas constantemente.

Assim, ao comprar um produto com o SIF, você garante a aquisição de um produto com padrão constante, que não vai oscilar bruscamente de um lote para outro.

Manutenção da qualidade

Como vimos, os padrões para concessão do SIF são determinados pelo governo com base em pesquisas e diretrizes de segurança alimentar. Dessa forma, o consumidor saberá que o produto com SIF sempre terá qualidade superior a outros equivalentes que não passaram por essa inspeção.

Segurança alimentar

Existem inúmeras doenças cuja transmissão se dá por meio de alimentos de origem animal, e muitas delas são fatais. Ao obter o SIF, o produtor não apenas ganha o direito de comercializar o produto em todo o território nacional, como também mostra que se preocupa com a saúde do consumidor e faz esforços para adequar a produção aos rigorosos padrões federais.

Prontidão para consumo

Outra vantagem do selo de inspeção é indicar para o consumidor de forma clara que aquele item está pronto para consumo. Ou seja, ao adquirir um produto com SIF, SIM ou SIE, você sabe que não precisará se preocupar com processos de pasteurização ou outros semelhantes para tornar o produto próprio para uso.

Como conseguir o SIF?

O pedido de obtenção do SIF deve ser feito diretamente ao Ministério da Agricultura, Agropecuária e Abastecimento. No site do órgão, é possível ver em detalhes todas as exigências requeridas a cada tipo de produção, bem como quais os produtores podem ou não receber o selo.

E você, já conhecia a importância dos selos de inspeção de qualidade? Com eles, sua empresa ganha credibilidade e pode expandir ainda mais a linha de atuação.

Se você se interessa pela indústria de alimentos, confira também nosso material sobre como abrir uma casa de carnes!

Equipamentos para padaria: conheça os que não podem faltar em seu negócio

Conhecer os principais equipamentos para padaria é vital! Ter os equipamentos corretos pode ajudar a ter um negócio de sucesso, seja ele uma pequena padaria ou um rede de pães.

Embora seja necessário um investimento, os equipamentos garantem um serviço menos cansativo, já que algumas máquinas substituem o trabalho a mão e trazem um resultado ainda melhor e mais profissional.

Se você quer montar uma padaria ou precisa incrementar a sua, continue a leitura e conheça os principais equipamentos que toda padaria deve ter.

6 equipamentos para padaria

forno-padaria1. Forno

O forno é um dos equipamentos mais importantes em uma padaria, afinal, ele faz parte da transformação da massa em um pão fresquinho e pronto para vender.

Os fornos mais indicados para as padarias são aqueles de modelo industrial, ou seja, que possuem recursos extras, como distribuição de calor de modo uniforme e que possuem um controle mais preciso da temperatura.

É importante optar por um forno que seja a injeção de vapor de água, embora muitas pessoas não saibam, esse recurso a mais ajuda na formação da crosta do pão, dos alvéolos no miolo e também em sua coloração.

2. Batedeira planetária

A batedeira planetária é muito versátil e geralmente pode ser usada tanto para massa leves, como para massas pesadas.

Caso você não tenha uma e precise comprar, opte por uma que venha com mais opções de batedores, para te dar mais opções de massas.

Além disso, escolha uma forte e com uma capacidade boa para bater as massas de acordo com a sua produção.

3. Misturador ou amassadeira

Esse equipamento para padaria é conhecido por diversos nomes como: masseira, amassadeira, misturador, misturadeira e tem como função sovar massas pesadas e em grande quantidade. A amassadeira é mais resistente e mais veloz que a batedeira, porém, as duas são muito úteis em uma padaria.

Além disso, existem dois modelos de amassadeira, que são:

Amassadeira basculante: esse modelo suporta entre 5 e 25kg de massa e possui dois braços mecânicos, sendo ideal para padarias e confeitarias.

Amassadeira espiral: a amassadeira espiral lembra uma batedeira planetária, ela possui apenas um braço em formato espiral que fica perpendicular ao tacho. A sua capacidade é ainda maior, podendo ir entre 25 e 60kg. É totalmente adequada para a produção constante e em larga escala.

4. Refrigerador

O refrigerador é essencial para armazenar não só os produtos, como também os ingredientes que precisam ser mantidos em temperatura baixa.

E com as várias opções disponíveis no mercado, fica fácil separar os alimentos de forma apropriada.

Nesse caso, é super recomendado que se tenha pelo menos dois modelos, um na vertical e outro frezzer na horizontal, desse modo mantém-se tudo organizado.

5. Balança

Na preparação da massa é super importante contar com a ajuda de uma balança.

É ideal pesar cada ingrediente para que a sua receita não seja alterada, principalmente se for uma receita com grande quantidade dos ingredientes.

Antes de comprar a balança, verifique a sua produção para comprar uma que consiga pesar de acordo com a fornada feita por vez.

Também é necessário ter uma balança à vista dos clientes para que o pão e frios sejam pesados corretamente e de forma transparente.

batedeira-planetaria-padaria6. Utensílios

É claro que os utensílios também são de suma importância, afinal, eles podem garantir um acabamento melhor na massa ou no confeito.

Usar gambiarras pode não ser uma boa opção, então vale a pena investir em itens que você sempre vai usar, como formas, bandejas, bicos de confeiteiro, pegadores, modeladores, raspadores, pá para tirar pães do forno, cesto ou benetton, estilete e outros.

Com o auxílio desses equipamentos, a sua padaria vai melhorar não só na produção, como também na qualidade dos produtos e isso gera ainda mais confiança para os seus clientes.

Gostou das nossas dicas de equipamento para padaria? Conheça a nossa loja virtual e encontre equipamentos incríveis para sua padaria.

Como montar uma lanchonete de sucesso?

Saber como montar uma lanchonete pode ser um excelente negócio. Para isso, é necessário ficar atento a alguns pontos, afinal para uma lanchonete de sucesso não basta pensar somente no espaço que deve ser alugado e começar a fazer lanches de qualquer maneira.

Existe toda uma etapa para estruturar o negócio, atrair os clientes, manter o seu estabelecimento funcionando e gerando um bom lucro.

Se você não sabe por onde começar a montar seu negócio, você veio ao lugar certo. Através de algumas pesquisas, separamos 7 passos para te ajudar a montar uma lanchonete de sucesso. Confira nossas dicas a seguir.

Como montar uma lanchonete em 7 passos?

lanchonete-decoração1. Planejamento

O planejamento é o primeiro passo para qualquer negócio dar certo. Traçando metas e meios para alcançá-las, fica fácil não se perder durante o caminho.

Traçar um plano inclui também escolher o melhor lugar para montar a lanchonete e analisar o perfil dos seus clientes, não adianta nada investir em lanches que não agradam quem a frequenta.

O público-alvo, em um primeiro momento, pode ser todas as pessoas que residem ou passam pelo local onde se encontra sua lanchonete, então preste bastante atenção em suas preferências para determinar o cardápio e o layout do seu negócio através do perfil dos clientes.

2. Decoração

A decoração tem uma importância enorme para um estabelecimento, com uma boa organização e concordância entre os itens de sua lanchonete, a chance dos clientes serem atraídos é muito maior.

Do contrário, se o estabelecimento for bagunçado, as pessoas irão procurar por outro ambiente mais agradável e atrativo.

A decoração não precisa ser das mais elaboradas, uma decoração simples pode agregar muito valor a sua lanchonete, lembre-se que menos é mais.

3. Preço justo

Uma lanchonete que mantém os lanches com um preço justo e com uma decoração aconchegante, é irresistível para quem passa na calçada, principalmente naqueles horários em que a fome vem.

Para manter o preço agradável para os clientes você pode oferecer ketchup, maionese, mostarda e outros produtos de qualidade com preço acessível.

cardapio-lanchonete4. Cardápio convidativo

Como já citamos, o cardápio deve ser definido através do perfil dos clientes. Ter variedade deixa ainda mais fácil atrair novas pessoas para o seu estabelecimento. Veja alguns lanches para oferecer em sua lanchonete:

  • Hambúrgueres e Hot Dogs: esses são pedidos clássicos e para a hora do almoço você pode oferecer combos, como incluir a batata frita, por exemplo;
  • Lanches quentes: use a criatividade e crie lanches quentes na chapa, os clientes vão amar essa opção de lanche;
  • Lanches naturais: os sanduíches naturais vendem bastante, principalmente para quem busca uma alimentação mais saudável;
  • Sanduíches em baguetes: essa variedade de lanche pode ser servida fria e você pode liberar a criatividade para modificar o recheio;
  • Salgados: os salgados são a atração do balcão de uma lanchonete, invista nas sua vastas variedades;
  • Bebidas: vá além dos enlatados, ofereça sucos naturais e até vitaminas feitas na hora;
  • Doces: uma pequena sobremesa pode agregar valor a sua lanchonete, principalmente quando se trata de agradar as crianças.

5. Bom atendimento

Como todas as outras dicas, o atendimento também é muito importante e faz parte da conquista do cliente. É necessário investir em pessoas, seja em treinamento e em recursos.

Lembre-se que um funcionário feliz cuidará muito melhor do seu cliente.

6. Higiene

Manter o ambiente sempre limpo, além de item obrigatório, é um fator que faz toda a diferença em qualquer ambiente comercial, principalmente em um estabelecimento que envolve comida.

Além da limpeza, a organização ajuda a manter um bom visual do local.

estufa-salgado-lanchonete7. Investimento em equipamentos para lanchonete

Investir em equipamentos ajuda na parte visual da lanchonete e certamente na área operacional também, como:

  • balcões climatizados;
  • freezers;
  • geladeiras;
  • espremedor de frutas;
  • liquidificador;
  • fritadeira;
  • chapa;
  • forno;
  • utensílios de cozinha;
  • mesinhas e cadeiras

Seguindo todas essas dicas, a sua lanchonete vai fazer muito mais sucesso com os clientes e quanto mais boa fama, melhor desempenho terá as suas vendas. E se desejar fazer um orçamento com preços e condições especiais envie um e-mail para contato@zafe.com.br.

Agora que você já sabe como montar uma lanchonete, que tal nos seguir nas redes sociais e acompanhar as novidades por lá? Estamos no Facebook e no Instagram, confira.

Como ganhar dinheiro em casa fabricando linguiça artesanal?

como-ganhar-dinheiro-fabricando-linguiça-em-casaNosso país não está vivendo a melhor fase econômica e provavelmente você tem ciência disso. Em tempos como, saber como ganhar dinheiro em casa representa mais do que a oportunidade de ter uma renda extra – pode ser a oportunidade de se criar um negócio para você e sua família.

Para os amantes de carne e pessoas com um certo cuidado na cozinha, a fabricação de linguiças artesanais pode ser um excelente opção para ganhar esse sonhado dinheiro.

Acontece, é claro, que não basta ter a ideia ou a vontade de iniciar essa produção de embutidos, é necessário saber como por em prática esse projeto.

Para te ajudar nessa tarefa, criamos esse post para tirar algumas de suas dúvidas e te instruir. Para verificar as dicas, continue lendo.

Por que trabalhar em casa?

Trabalhar em casa é uma ótima opção tanto para quem quer ganhar uma grana extra, como para quem quer tentar um negócio próprio. E requer o mesmo esforço de qualquer outro trabalho, porém com algumas vantagens se comparado ao modelo tradicional do mercado.

Além de permitir que o profissional mantenha uma relação mais presente com a família, com uma boa administração você pode ganhar até mais do que em um emprego com carteira assinada e ter mais qualidade de vida se escolher uma atividade que gosta.

Sem falar na economia de tempo e dinheiro, já que você não precisará enfrentar o trânsito todos os dias nem gastar com passagem e alimentação em restaurantes. O conforto de estar em sua casa também não tem preço.

Mas é claro que para isso, é necessário trabalhar sua mente para que, apesar de estar em casa, você consiga criar um rotina de trabalho. E a família precisa ajudar nisso também.

Mesmo que as pessoas que moram com você não trabalhem na fabricação de linguiças, elas precisam entender que enquanto você estiver trabalhando elas devem evitar chamá-lo por qualquer motivo.

Como ganhar dinheiro em casa fabricando linguiça artesanal?

Estude o mercado e entenda os nichos em alta

A questão não é apenas se sair bem na fabricação de linguiça, é indispensável estudar o mercado — sobretudo o mercado local — para que você saiba como se diferenciar e entender como trabalhar o preço de vendas do seu produto e locais onde vender.

Estabeleça uma rotina de trabalho

Essa é uma parte crucial para quem quer ganhar dinheiro em casa — o seu negócio não vai fluir se você não se dedicar e seguir um horário. Independente se for um ganho extra ou o inicio de um negócio, não opte por trabalhar de qualquer jeito.

Defina a carga horária que você vai trabalhar por dia, assim fica fácil dar conta de todas as suas obrigações e garantir que o seu negócio cresça.

Também é importante definir um local para trabalhar, mesmo que seja uma parte de um cômodo. Depois dessas definições, comunique às pessoas que moram com você para que respeitem esses horários e local.

Escolha um local para vender suas mercadorias

ganhando-dinheiro-linguiça-artesanal

Depois de verificar as demandas, você vai precisar escolher um local para vender as linguiças artesanais. A internet é uma excelente ferramenta para a venda de produtos, você pode criar sua própria loja virtual ou até mesmo usar as redes sociais para vendê-las.

Caso essa não seja um opção viável, você pode fornecer o seu produto para açougues, casas de carnes ou até supermercados.

Dicas para fabricar linguiça artesanal

Para fabricar linguiça artesanal é necessário alguns cuidados especiais, principalmente usando ingredientes e utensílios de qualidade. Também é importantíssimo manter a carne em temperatura baixa, assim não terá erro no produto.

Todo o procedimento merece muita atenção, seguindo o passo a passo sua linguiça artesanal vai ser um sucesso.

Viu como é possível ganhar dinheiro em casa? Trabalhar com o que se gosta é incrível, embora se tenham tarefas a serem cumpridas no dia a dia, não dá para chamar tudo de obrigação.

Além de todos os benefícios, a sua motivação no trabalho será muito maior do que qualquer outro emprego.

Gostou das nossas dicas de como ganhar dinheiro em casa? Aprenda também o passo a passo de como fazer linguiça artesanal.

Cortes de carne bovina: conheça cada um para você oferecer no seu açougue

Conhecer os diferentes tipos de cortes de carne bovina é essencial para um bom profissional que trabalhe com carnes.

Um açougueiro qualificado não só passa mais confiança para os clientes trazendo a fidelização deles, como também melhora a qualidade de serviço do estabelecimento.

Além disso, o corte não pode ser feito de qualquer maneira, toda prática e conhecimento vão tornar o seu empreendimento muito melhor com o aumento de vendas e de qualidade. Claro que junto do conhecimento, é necessário investir em bons equipamentos para açougue.

Sempre tem aquele cliente com dúvidas sobre qual carne levar para fazer determinada receita ou para um bom churrasco e com uma boa informação e orientação é provável que ele volte sempre ao seu açougue e ainda indique para os amigos e parentes.

Embora pareça uma tarefa simples, o corte faz uma diferença enorme. Quer saber qual a divisão dos cortes e as características sobre eles? Continue lendo e fique por dentro de tudo.

Mapa de Cortes Bovino

Cortes de primeira

Localizam-se em partes menos usadas do boi e são mais macias, próprias para fazer bifes, assados e churrasco. Veja a seguir:

09. Contra filé ou filé de lombo:

Seu sabor é acentuado e preservado através de uma gordurinha lateral. A carne fica deliciosa tanto servida mal passada quanto no ponto.

11. Filé mignon

O filé mignon é uma carne ideal para bifes, embora não ganhe do sabor da alcatra e do contra filé, a carne é a mais macia.

10. Picanha:

É uma parte muito macia do boi e contém gordura própria para churrascos.

12. Alcatra:

A alcatra é uma carne que não possui muita gordura, mas não deixa de ser saborosa por isso. É bom se atentar ao modo de fazer, já que preparando-a em fatias mais finas corre o risco de ressecar mais facilmente por conta da pouca quantidade de gordura.

17. Maminha:

Já a maminha possui uma grande quantidade de gordura e tem um sabor muito suave.

20. Patinho:

Menos macia que a alcatra.

14. Coxão mole ou Chã:

É uma carne muito macia e que vai super bem sendo preparada como bife ou em enroladinhos. É muito usada para o famoso prato Carne de Panela com batata.

15. Lagarto:

A carne se diferencia em sua cor mais clara e no seu formato mais definido e alongado.

Cortes de segunda

São feitos com partes mais expostas do boi e são os mais populares. Veja a seguir:

03. Peito:

O peito é a parte dianteira do gado constituída por fibras duras e que possui uma gordurinha que evita o seu ressecamento.

06. Cupim:

O cupim é a parte corcova do boi-zebu, nele se entrelaçam gorduras e fibras.

02. Acém:

O acém é o maior pedaço e o mais macio da parte dianteira do boi. É comumente escolhido para se usar como carne moída.

04. Braço ou Paleta:

É mais musculoso que o acém e muito saborosa por conta da sua gordura interior.

19. Aba de filé:

Essa é uma parte mais rija — dura — e que requer um tempo maior de cozimento.

Filé de costela

A carne tem uma grande quantidade de gordura e isso a torna ainda mais saborosa, mas suas fibras exigem bastante cuidado na hora do preparo.

13. Fraldão:

É um corte com fibras longas, não é considerada muito macia e tem um sabor suave. A carne possui uma baixa concentração de gordura, nesse caso é ideal para quem está de dieta, mas não abre mão de comer uma boa carne.

Cortes de terceira

Possuem uma camada extra do tecido conjuntivo do boi, tem maior quantidade de gordura e nervos. Veja a seguir:

01. Pescoço:

O pescoço é um dos cortes mais baratos. Sua formação é parecida com a do peito, já que é sua continuação.

5/21. Músculo:

O músculo é considerado uma parte muito saborosa do boi.

16. Ponta de agulha:

A ponta de agulha é constituída por fibras grossas e compridas e por músculos.

Sabendo os cortes de carne bovina, vai ficar muito mais fácil tirar dúvidas de alguns clientes. Junto a isso, procure dar dicas sempre que possível, seja no preparo ou para o tempero da carne, com isso o valor do seu negócio será ainda maior.

Gostou das nossas dicas sobre cortes de carne bovina? Que tal nos seguir nas redes sociais e ficar por dentro das novidades? Estamos no Facebook e no Instagram, confira.

Cursos Sebrae para ter um açougue ou fabricação de linguiças de sucesso!

atendimento-açougueEmbora grande parte dos empreendedores acreditem possuir habilidades suficientes para guiar seus negócios, conhecimento nunca é demais. E é nesse ponto que os Cursos Sebrae ajudam.

Eles têm a função de ajudar o empresário a melhorar suas habilidades de gestão e otimizar diversas áreas do seu negócio, como o setor de vendas – que é o foco principal de uma empresa.

E o melhor de tudo isso: muitos desses cursos são totalmente gratuitos e estão disponíveis na internet!
Para te ajudar a ter uma boa gestão do seu açougue ou fábrica de linguiças, selecionamos alguns desses cursos.

Prossiga a leitura e conheça os mais indicados!

Cursos Sebrae Online

Iniciando um pequeno grande negócio

Se você pretende montar seu próprio negócio, esse é um curso fundamental para iniciar a jornada do empreendedorismo. Nele você conhecerá como e o que é necessário para ter um negócio de sucesso.

O curso online oferece noções básicas essenciais e vai além, ajudando na prática de implementação do negócio a partir de estudos de caso e atividades concretas.

Além de estudar sobre a importância da pesquisa de mercado, o aluno também aprende a elaborar essa pesquisa para conhecer clientes, fornecedores e concorrentes.

curso-fabricação-luinguiça

Como vender mais e melhor

Embora tenha se dedicado em toda a etapa de planejamento, divulgação e estruturação de sua loja, a hora da venda é outra etapa que requer muita atenção.

Sem um bom treinamento da equipe para o atendimento dos clientes, as vendas podem não sair como esperadas.

Por isso, o Sebrae disponibilizou um curso que contém um modelo incrível para a construção de um processo de vendas.

Além de abordar também a importância de vendedores treinados para alcançar as metas de venda e ainda fidelizar clientes.

Aprenda a planejar as estratégias do seu negócio

O planejamento é a base de tudo. Sem ele as metas da empresa podem sair do trilho e não ter um rendimento favorável.

Além disso, toda tomada de decisão deve partir do que foi analisado no planejamento, do contrário pode ser que se esteja jogando alguma oportunidade fora.

Vale super a pena reservar um tempinho para esse planejamento. Embora pareça perda de tempo, na verdade você irá ganhar com tudo isso, já que a tomada de decisão vai ter saído de um fundamento bem planejado.

Neste curso você vai aprender a investigar a viabilidade de um negócio e ainda enxergar oportunidades que antes não eram perceptíveis ou até ignoradas

Sua empresa nas redes sociais

açougue-redes-sociaisAs redes sociais são ferramentas que podem beneficiar muito o seu negócio, fortalecendo a sua marca. Mas somente usando-as de maneira correta, do contrário alguns seguidores serão perdidos pelo meio do caminho.

Sabemos que nem todo mundo tem facilidade com as redes sociais, nesse caso, é essencial se disponibilizar a fazer um curso que ajude a guiar melhor o seu empreendimento nessas ferramentas.

Assim dá para evitar uma série de erros que poderiam ser cometidos diante da falta de estratégias de como se sair bem nas redes sociais. E o melhor de tudo é que o Sebrae disponibiliza esse curso e ainda de graça – ou seja, não tem motivos para deixar para outra hora!

Os cursos Sebrae são um privilégio enorme tanto para empresas que estão começando agora, quanto para outras que já estão a mais tempo no mercado. Com o propósito de melhorar o desempenho das empresas, o Sebrae tem ajudado diversos empreendedores.

E você, já está pensando em dar início no seu Curso?

Não se esqueça de assinar nossa newsletter para receber outros conteúdos como este direto em sua caixa de e-mail!

Como calcular preço de venda da linguiça artesanal?

custo-linguiça-artesanal

Todo mundo que fabrica linguiça, principalmente as famosas linguiças artesanais deve se preocupar em saber como calcular o preço de venda de seu produto. Essa é uma etapa muito importante e que merece bastante cuidado, afinal o preço deve ser justo para que não espante os clientes e também para que o empreendimento não fique com prejuízo.

Com o preço ideal, o produto favorece a todos, inclusive faz o seu negócio se destacar entre os demais, já que o preço pode ser um diferencial competitivo.

Quer saber como calcular o preço de venda da linguiça que você fabrica? Continue a leitura!

O que é preço de venda de um produto?

Para resumir, preço de venda é o valor que a uma empresa cobrará pelo produto que ela produz, nesse caso a linguiça artesanal ou comum. Mas, se engana quem acha que só é preciso pensar em um preço e pronto.

Na verdade, o preço precisa ser calculado. E além disso, depois de definido é preciso verificar se é suficiente para cobrir todos os custos obtidos na produção da linguiça.

Calculando os custos, despesas e o lucro que se espera, você saberá o preço ideal para vendê-la. Para explicar melhor:

Custos

Um custo é quanto a sua empresa gasta para produzir o que será oferecido aos clientes.

Despesas

Uma despesa é quanto a sua empresa gasta para vender um serviço ou produto e, assim, gerar receitas.

Lucro

É o retorno que a sua empresa terá ao vender um produto ou serviço. O lucro é o dinheiro que irá financiar o crescimento do negócio.

Essa é uma das formas de definir o preço de venda de um produto. Em um primeiro momento, entender uma estrutura genérica é melhor do que procurar cálculos complexos. Você só precisa, é claro, identificar os custos, despesas e margem de lucro necessária para que seu negócio de vendas de linguiça artesanal seja viável.

Como calcular o preço de venda do seu produto?

Imagine que os custos com os ingredientes da linguiça mais o salário de um funcionário somem R$10,00; as despesas com impostos e despesas fixas proporcionais (água, luz, aluguel, etc.) somem R$ 5,00 e a margem de lucro definida seja de R$5,00 (ou 50% sobre os Custos). Nesse caso, o preço de venda da linguiça artesanal seria de R$ 20,00.

O valor final deve ser o suficiente para bancar todos os custos envolvidos na sua produção, as despesas com impostos, o pagamento dos funcionários e ainda garantir a margem de lucro que você definir.

linguica-artesanal-preço

Dica: Com o preço de venda definido, faça uma comparação entre o seu preço de venda e o preço cobrado pelos seus concorrentes. Isso irá mostrar se a sua empresa está dentro da competição no mercado e se é preciso baixar ou até mesmo aumentar sua margem de lucro.

Venda por um preço justo

Querer ganhar demais em cima de um produto não é nada sustentável para os negócios. Além disso, é importante pensar no quanto você ganhará vendendo em quantidade se o seu produto tiver um preço acessível para todos.

Com um preço muito alto, a quantidade de venda pode cair e sua empresa pode não obter o valor estimado. O importante é conseguir arcar com os custos no geral e ainda ter assim ter um lucro bom — e para isso não é necessário e nem justo cobrar a mais.

[BÔNUS] Planilha de formulação e cálculo de custo

Para te ajudar a descobrir o preço de venda da linguiça artesanal ou tradicional que você pretende vender, nossa  equipe preparou uma planilha de formulação, que irá te auxiliar a definir a quantidade de cada condimento e aditivos que deverão ser utilizados e também um cálculo de custo desses ingredientes e matéria-prima.

Faça o download, preencha com informações do seu negócio e use no dia a dia da sua fabricação.

[email-download download_id=”13561″ contact_form_id=”13563″]

Depois de somar esses pontos que citamos e verificar o preço da concorrência, se tornará muito mais fácil a definição do valor. Não se esqueça que a formação de preço de venda afetá positiva ou negativamente suas vendas e o desempenho da sua fabricação.

Agora que você já sabe como calcular preço de venda da linguiça artesanal, confira também nossas dicas para fabricar linguiças em casa!

Dicas de Gestão: o que você precisa saber para vender linguiças artesanais e ter lucro

dicas-gestao-fabricacao-linguiça-artesanalBoas dicas de gestão podem salvar o seu negócio antes mesmo que ele afunde, afinal, uma empresa sem gestão pode não ir muito longe.

São muitas responsabilidades a serem assumidas e isso conta bastante para o sucesso do negócio. Com base nisso, separamos 5 dicas para ajudar a gestão do seu empreendimento.

Embora pareça simples abrir um açougue ou iniciar a fabricação de linguiças artesanais, administrar todos os detalhes pode não ser a tarefa mais fácil do mundo.

Quer saber como ter uma boa gestão no seu negócio e garantir boas vendas? Continue lendo.

Dicas de gestão

Planejamento

Sem planejamento se torna bem mais difícil alcançar os objetivos de uma empresa. Além disso, a falta dessa prática é um dos principais motivos pela qual muitos negócios encerram suas atividades antes mesmo de se estabilizarem.

Portanto, é essencial fazer planos para o seu negócio e testá-los o quanto antes, desse modo não se perde muito tempo e evita prejuízo caso a ideia seja invalidada.

Todo planejamento precisa ser bem elaborado, para isso precisa-se de informações relativas.

Como a clientes, fornecedores, capacidade de prestar serviços, produzir, vender e outras. Não se esqueça que a próxima etapa será botar todo esse plano em prática.

Controle financeiro

Falando em dicas de gestão, não poderíamos deixar de falar sobre controle financeiro. Essa é uma das partes mais importantes e sensíveis em um empreendimento.

Sabendo lidar corretamente com as finanças, garante que você não se descabele quando precisar investir em materiais, pagar funcionários, etc.

gestao-açougue

Ter um plano de orçamento de pelo menos um ano é muito recomendado para empreendedores iniciantes. Em caso de aperto, a empresa terá um orçamento para investir no que for necessário.

Outro cuidado que se deve ter é para não misturar finanças pessoais com finanças da empresa. Cada uma delas deve ter seu próprio fundo, assim você saberá se está tendo ou não lucro.

Outra dica importante é anotar todas as despesas e vendas da empresa. Para isso você pode utilizar um sistema de gestão financeiro, uma planilha ou até o mesmo um caderno. O fundamental é ter tudo listado para que futuramente seja possível voltar e analisar a saúde financeira do negócio.

Cuide da gestão administrativa

Para cuidar da gestão administrativa é necessário muita responsabilidade, o sucesso da empresa depende disso. A contratação de um profissional da área pode ser de grande ajuda.

Nem todo empreendedor tem experiência em administração e isso não pode ser um empecilho para iniciar a fabricação de linguiças nem suas vendas.

Nesses casos, cursos de gestão rápidos oferecidos por instituições como o SEBRAE podem ser de grande ajuda. A falta de hábitos em gestão administrativa é um grande risco para seu negócio.

Formalize o seu negócio

De início, muitos empreendedores optam por não formalizar o seu negócio — alguns por medo e outros para fugirem de impostos.

Mas, essa é uma opção pouco viável. Apesar de evitar alguns gastos, você também evita que a sua empresa cresça e se de desenvolva. Além do que, existem modalidades de empresas como o MEI que é uma excelente modalidade para iniciar uma empresa e desenvolvê-la.

fazer-linguiça-artesanalDica de gestão bônus: conheça seus clientes

Conhecer seus clientes pode ajudar bastante a tomar iniciativas que os fidelizem, principalmente quando se trata dos produtos que você comercializa em sua loja.

Conhecendo mais a fundo as necessidades dos clientes, fica mais fácil oferecer os produtos que eles mais usam e fazer vendas casadas — aumentando o faturamento do seu negócio.

Além disso, as pessoas buscam facilidade hoje em dia. Dessa forma, se você vende linguiças artesanais para churrasco e tem também o carvão, é provável que o cliente prefira comprar com você, à procurar uma loja ou açougue que só venda um dos produtos.

Com todas essas dicas, o seu empreendimento vai seguir pelo caminho certo e garantir que os produtos sejam vendidos assim como se espera. Toda e qualquer empresa precisa desses cuidados na gestão e em um açougue não poderia ser diferente.

Assim como a gestão, pensar em como vender linguiça artesanal é fundamental.

Agora que você já conhece essas dicas de gestão, asssine nossa newsletter e receber mais conteúdos como este!